Passamos uma noite na Casa do Bem

0
Andreo Fischer

Andreo Fischer

O extinto albergue municipal localizado no bairro Santa Luzia deu lugar à Casa do Bem. O local recebe moradores em situação de rua todas as noites. O ambiente acolhedor oferece alimentação, higiene e uma cama para pernoite. A reportagem do Provável Notícias passou uma noite no lugar.

Algumas das camas disponíveis no local.

– A gente trabalha para que os acolhidos saiam da situação de rua, se reorganizem para que resgatem a autoestima, os vínculos familiares, realizando acompanhamento e retorno ao mercado de trabalho. Destaca Marja Menezes, coordenadora da Casa do Bem.

Marja Menezes, coordenadora da Casa do Bem e Fabiana Moura, assistente social do local. Fotos: Andreo Fischer

A instituição começa a receber os interessados às 19:15, onde tomam banho e ficam no espaço coletivo assistindo TV, jogando baralho ou tocando violão. A janta é servida às 20:30 e todos devem dormir às 22:30. Às 5:50 os beneficiados devem acordar e às 6:00 tomam o café da manhã, devendo sair às 06:30.

– É um trabalho humanizado.  salienta Marja

Para onde vão os assistidos durante o dia

Muitos deles trabalham ou passam o dia no Centro Pop, que é um órgão municipal que realiza trabalho semelhante à Casa do Bem. Lá são feitas atividades na Rua Ary Tubbs, centro da cidade. Após, retornam à instituição localizada na RS 118 próximo a parada 75.

Não é permitido o ingresso estando alcoolizado ou sob efeito de drogas, como explica Telles, guarda municipal da Casa do Bem:

– O pessoal é tranquilo. 99% de tranquilidade. Vez ou outra que chega alguém meio alterado porque eles não podem acessar o serviço sob efeito de drogas ou de álcool. A gente barra. – Comenta.

Usuários da casa que chegam cedo para entrar no local e garantir banho e alimentação.

A usuária Valéria disse que aprova o serviço:

– Eu gosto porque é um lugar bom para nós moradores de rua, a gente é bem atendida, a gente come, a gente é bem tratada aqui. – destaca.

Logo na entrada os interessados recebem um kit de higiene pessoal com xampu, condicionador, desodorante, sabonete, lâmina de barbear e até absorvente. Então eles se encaminham para tomar banho numa espécie de vestiário com vários chuveiros.

Kit de higiene distribuído aos usuários.

O fumo de cigarros é permitido, porém em uma área externa. Na ocasião da reportagem, a Casa do Bem estava comemorando 1 ano de atividades, onde foi servido um galeto com maionese e um bolo de aniversário.

O bolo de aniversário da Casa.
O galeto servido em comemoração às atividades.
Prato servido na noite.

Fabiana Moura, assistente social explica mais um pouco como funciona o trabalho:

– O trabalho do assistente social na Casa do Bem inicia com acolhimento das pessoas que chegam aqui em situação de rua, nós oferecemos o serviço de localização dos familiares, encaminhamento para confecção de documento civil básico, encaminhamento para serviços de saúde, dependendo na necessidade que ele elas trazem. A gente monta um plano de acompanhamento singularizado de acordo com a necessidade da pessoa que vem acessar a casa. Inclusive nesse plano a gente vai determinar o prazo que ele vai acessar o serviço, a movimentação dele dentro da casa. E de acordo com a vontade dele também. A gente respeita bastante essa questão da vontade. Às vezes a pessoa chega aqui e diz que está há muito tempo sem ver a família, aí a gente começa a movimentar as coisas e descobre que ela está no cadastro de desaparecidos, que a família também está procurando pela pessoa. A gente tenta reconstruir esse vínculo familiar. – pontua.

A Casa do Bem fica na ERS 118, 3155 próximo ao viaduto entre as paradas 74 e 75. O local aceita doações de cobertores e roupas.

A cozinheira da Casa do Bem e os cachorros-quente servido em comemoração ao aniversário do local.
Banheiros
Os usuários divertem-se com jogos de tabuleiro.
Comentários