Novo plano de saúde da prefeitura aguarda aprovação na Câmara

0
Divulgação - Provável

O Prefeito Marco Alba apresentou na tarde desta quarta-feira, 7, o projeto que cria o novo Instituto de Saúde dos Servidores (Isseg), durante reunião com vereadores que formam a base do governo na Câmara e os representantes dos sindicatos dos Servidores Municipais e dos Trabalhadores em Educação Pública de Gravataí. Resultado de quatro meses de diálogo entre a Prefeitura, Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores de Gravataí (Ipag) e representantes dos sindicatos dos Servidores Municipais e dos Professores Municipais, o projeto deve ser protocolado em regime de urgência na Câmara nesta quinta-feira, 8, e entrará em tramitação com prazo de 45 dias para apreciação e votação, na semana que vem.

Após um trabalho exaustivo, segundo a Prefeitura de Gravataí, e através do envolvimento do próprio prefeito e dos representantes do Ipag  e os sindicatos chegaram a um acordo e fizeram história conseguindo concluir o projeto do novo plano de saúde dos servidores do município. Para o prefeito Marco Alba esse é um momento histórico que mostra que através do diálogo responsável com a verdade dos fatos pode produzir as soluções adequadas para todos.

Marco Alba explica que esse novo plano prevê uma nova fonte de custeio, com um aporte da Prefeitura de R$ 8 milhões por ano, até Dezembro de 2026. “Após este período, conforme os estudos atuariais, o plano passará a se sustentar sozinho, que é o que acreditávamos ser importante desde o início deste processo.”

O que o usuário pode esperar

A presidente do Ipag, Janaína Balkey, destaca que mesmo com um novo serviço de saúde sendo criado, o usuário do antigo Ipag Saúde, agora Isseg, em nenhum momento terá o serviço afetado. “A transição será feita automaticamente, assim que o projeto for aprovado na Câmara e a lei sancionada. O usuário também entrará no novo serviço automaticamente, sem precisar um cadastramento e também, sem carência.”

Como um dos pontos de maior preocupação na construção do novo plano de saúde era o custeio, Janaína explica que além das tabelas por faixa etária, de acordo com a Agência Nacional de Saúde (ANS), foram feitos diversos estudos para aqueles servidores que possuem menor salário e maior faixa etária, para que não ficassem inviabilizados de aderir a nova estrutura. “Quem ganha salários de até R$ 1,5 mil, por exemplo, pagará apenas 30% da tabela de acordo com a faixa etária. Já aqueles que recebem mais de R$ 5 mil, pagarão o valor total.” Janaína ainda destaca que esta mesma regra serve para o pagamento do valor correspondente aos dependentes. 

Com a notícia da extinção do Ipag Saúde muitos servidores acabaram saindo do serviço a partir de março deste ano. “Essas pessoas terão, após a criação do Isseg, um período de 30 dias para aderirem ao novo plano sem nenhuma carência”, concluiu Janaína.

Comentários