Eles estão pelas ruas de Gravataí

0
Divulgação

Passar horas nas ruas, avenidas e estradas, enfrentar o trânsito e ter vidas nas suas mãos não é uma tarefa fácil. Mas é isso que os 60,7 milhões de condutores brasileiros, de acordo com a Associação Nacional dos Detrans (AND), enfrentam diariamente. Anualmente o dia 25 de julho, por meio do Decreto nº 63.461, de 21 de outubro de 1968, é dedicado aos motoristas. A Prefeitura de Gravataí conta com vários desses profissionais no seu quadro de funcionários, seja de ambulâncias, vans escolares, caminhões ou outros veículos. Eles contribuem para que os serviços de município funcionem e que a população seja atendida de forma eficiente.

Salvando vidas

Conduzir uma ambulância não é um trabalho simples. A pressão de ter que dirigir, muitas vezes em alta velocidade, com uma pessoa que necessita de atendimento e pode estar fragilizada é enorme. João Barbosa dos Santos, motorista de ambulância da Prefeitura de Gravataí, carrega essa responsabilidade há 28 anos. Uma profissão que veio através da necessidade se tornou algo no qual Barbosa, como é conhecido pelos colegas, se orgulha de fazer. “É muito bom poder ajudar, poder salvar alguém. Já vi muitas coisas, acidentes, mortes, mas saber que o nosso trabalho salva vidas é muito bom”, conta o condutor que acumula histórias. “Uma vez atendi uma chamada para levar duas gêmeas recém-nascidas para o hospital e infelizmente uma delas não conseguiu se recuperar. Anos depois um homem me parou na rua e perguntou se eu reconhecia a menina que estava junto com ele, logo em seguida me disse que era a menina que eu havia ajudado a salvar. Foi muito emocionante.”, contou Barbosa.

Apesar dessas alegrias, existem também os percalços. Para Barbosa o que mais dificulta na hora de executar o seu serviço é o trânsito e os outros motoristas: “Sem dúvida o trânsito é a maior dificuldade. As pessoas que estão na rua não saem da frente, não dão passagem e, para nós, o tempo é muito importante. Já precisei empurrar carros que estavam trancando a passagem; uma vida vale mais do que isso. Os outros motoristas precisam entender que nós estamos tratando de pessoas que precisam de atendimento.”

Fazendo parte da educação

As crianças são sempre muito verdadeiras e sinceras nas suas opiniões. João Valente de Souza sabe bem disso. Trabalhando para a Prefeitura de Gravataí como motorista escolar há 7 anos, é um profissional muito elogiado pelos alunos e seus pais. Valente, como é chamado, conta um pouco da sua experiência como motorista. “Eu sou apaixonado por dirigir, comecei trabalhando em Porto Alegre e depois vim para Gravataí. Nesse tempo que estou na rota todos os pais tem sido muito gentis comigo. Já prometeram até fazer manifestação caso eu seja substituído”.

Por exercer tão bem a sua profissão e se dedicar ele acumula elogios. “Uma vez não pude fazer a rota de sempre e outro motorista precisou pegar um dos alunos que eu levo. Quando cheguei na casa dessa criança, no outro dia, o pai dela me disse que não queria que outro motorista levasse o filho dele, porque ele já estava acostumado comigo e sabia que podia confiar em mim. Esse tipo de reconhecimento me deixa emocionado”.

Comentários