Aos poucos, a sincronização das sinaleiras de Gravataí vira realidade

0
Secretario da Mobilidade Alison Silva demonstrando o sistema/PMG

Quando falamos em alternativas para melhorar o trânsito dos centros urbanos, segundos podem fazer toda a diferença na fluidez de uma avenida expressa. E isso fica ainda mais evidente quando observamos a importância do sincronismo das sinaleiras – programação específica para sequência de semáforos. Se bem aplicada, esta programação pode melhorar sensivelmente o trânsito das avenidas. A Prefeitura de Gravataí, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semurb) concluiu a instalação da fibra ótica, necessária para fazer a gestão dos semáforos em toda Avenida Dorival Cândido Luz de Oliveira e Centenário.


“A central semafórica instalada no prédio da Semurb controla a sincronização dos semáforos. Ela informa, inclusive, sobre lâmpadas queimadas e se há porta do controlador aberta. Não há mais necessidade do contribuinte ligar para informar sobre alguma lâmpada queimada ou que está dessincronizado, auxiliando o tráfego da cidade”, conta o titular da pasta Alison Silva.


A central semafórica é o resultado da tecnologia aliada a uma boa engenharia de tráfego para garantir o sincronismo dos semáforos. O motorista sai de um cruzamento em uma avenida, e na medida em que se aproxima do cruzamento seguinte, o semáforo abre. O fenômeno se repete nos demais cruzamentos, permitindo que os veículos façam grande parte do trecho sem ter que parar, considerando-se uma velocidade razoável.


A sincronização das sinaleiras começa na parada 59 e vai até a Anápio Gomes, na Avenida Dorival de Oliveira e na Avenida Centenário, da ERS-118 até as pontes. São, ao todo, 25 pontos controlados por fio. O sistema auxilia na agilidade no tempo de reposta e também se precisa alterar programação. Se há algum acidente, em alguma localidade, por exemplo, o sinal piscante amarelo é rapidamente acionado direto da central da Semurb.


“O próximo passo será a colocação de câmeras utilizando essa fibra ótica já instalada, para podermos controlar o trânsito por aqui e não só o semáforo”, explica o secretário.

Comentários