71% do público alvo de Gravataí já está vacinado contra a gripe

0
PMG

O Dia D para vacinação contra a gripe imunizou grande parte da população no último sábado (4). Após a iniciativa, Gravataí atingiu 71% da sua meta de público-alvo. A campanha nacional de vacinação começou em 10 de abril e seguirá até 31 de maio. A ação no final de semana contou com a mobilização de todas as unidades de saúde do município, sendo uma realização da Prefeitura de Gravataí, através da Secretaria Municipal da Saúde.


Sempre é importante lembrar que é preciso tomar a vacina todo ano porque ela é feita de acordo com os vírus que estão circulando. Além disso, quanto antes tomar, melhor. Ela leva duas semanas para proteger o organismo.


Incentivando que outras pessoas procurem as unidades de saúde, Douglas Vargas, esteve na Unidade Saúde da Família Morungava em busca da vacina e afirma: “Nunca mais tive gripes fortes. Todos os anos busco a imunização”.

Público-alvo


Devem tomar a vacina: idosos, crianças de seis meses a menores de seis anos, grávidas, mulheres até 45 após o parto, trabalhadores da saúde, indígenas, professores, integrantes das forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional, presos e pessoas com doenças crônicas, como diabetes e asma.


A coordenadora da USF Parque dos Anjos Mariana Santiago afirma que o Dia D foi uma oportunidade para as pessoas que não tem disponibilidade durante a semana de ir até o posto, de ficar em dia com a sua imunização. “Além disso, é também uma opção para fugirem das filas de espera, em virtude da rotina dos demais atendimentos.”

Vacinar-se é como ganhar um “superpoder”


O técnico de enfermagem Rogério Fraga, da Unidade Saúde da Família Parque dos Anjos, confeccionou “Certificado de Coragem”. Uma ação lúdica, que busca incentivar crianças a enfrentar o desafio da vacinação.


“Vacinar-se é como ganhar um superpoder. O poder da imunidade! Todo herói ou princesa sabe que ter um superpoder é sinônimo de ter coragem. Porque mesmo que a furadinha seja de leve e quase sem dor, é preciso levantar as mangas e partir para luta. Afinal, o que importa é estar protegido e proteger aquele que amamos”, descreve.

Comentários